sábado, 2 de maio de 2015

Voos

Há um tempo atrás viajei com duas amigas. A Europa, com sua cultura, respeito ao próximo e total funcionamento sempre foi um sonho pra mim, significava um mundo que eu sempre quis fazer parte e resolvi ir, sem pensar muito - num acesso de loucura financeiramente falando.
No voo de volta, quando retornava para uma vida que eu só pensava em fugir, chorando em silêncio, minha amiga me disse:

Calma. Viajar é bom mas voltar também é bom.

Naquele momento pareceu loucura, mas agora, quase três anos depois, voltando de outra viagem, entendo o que ela quis dizer.
Agora, tenho uma vida para a qual eu quero voltar. Decidida por mim, com meus erros e acertos. Um lugar em que posso finalmente ser eu mesma. Que não me oprime. Que não me deprime.
Que é tão bom quanto eu posso ser.
Voltei para as minhas responsabilidades. Minhas dores e minhas delícias.
Meus gatinhos.
A viagem foi boa, mas estou feliz de estar de volta.
Pela primeira vez.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Bendita memória fraca

Ela esquecia os doces fora da geladeira.
A chave no lado de fora da porta.
A carteira na bolsa de ontem.
A mudança do horário de verão.
O pedido do chefe.
O cachorro na pet shop.
As roupas na lavanderia.
O almoço no fogão.
Os sonhos na infância.
O aniversário da amiga.
Os rancores.
E os problemas.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Coisas boas

Estou precisando tanto de coisas boas na minha vida que decidi fazer uma lista. Outra lista.
Uma nova lista de felicidade.

Eu adoro encostar o ouvido na minha gata e ouvir ela ronronar.
Adoro ver meus gatinhos me seguindo pela casa.
E adoro vê-los dormir.

Dá um prazer enorme tirar o sutiã depois do trabalho.
Passar os pés limpos nos lençóis depois do banho.

Filme com pipoca.
Pipoca. Adoro pipoca. Milho cozido também. E creme de milho... Humm...

Adoro dançar. Me sinto levitar depois.
Ouvir música alto.

Cozinhar aquela comida gostosa que todo mundo se esbalda.
Costurar nuvens, sóis e coisas bonitas.
Usar a criatividade para transformar uma coisa normal em uma que ninguém nunca viu igual.
Criar. Amo criar.

Adoro passar tempo agarrado.
Adoro o cheiro dele, como ele me abraça e como me faz rir.
Amo as besteiras trocadas. O carinho e as mordidas. O amor.
E amar junto. E descobrir e crescer junto.

É bom demais receber surpresas. E fazer surpresas.
Mesmo que a surpresa seja só um chocolate escondido na bolsa.

Amo acompanhar as conquistas da minha sobrinha bebê.
Uma palavra por vez, novidades a toda hora. Cachinhos e mais cachinhos que só crescem.

Adoro conhecer pessoas interessantes. De energia boa.
Cheias de vontade de viver.

Adoro os quadrinhos do Liniers. Me fazem sentir coisas que os outros quadrinhos não fazem. Acho que toca mais fundo em mim. Talvez porque são muito simples.

E adoro escrever. Nem sei porque fico tanto tempo longe.