quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Eu, minha amiga

Se eu fosse minha amiga,
Me daria conselhos,
Sobre amor, vida e dinheiro.

Me levaria para o cinema,
piqueniques e eventos culturais.

Me abraçaria forte em momentos difíceis,
mostrando apoio e amor.

Diria que eu devo ter força
Para não deixar ninguém me fazer sentir menor.

Confortaria minha dor
E não me deixaria sofrer além do inevitável.

Me sinto tão só.
Neste momento, a única presença que me completaria totalmente
É eu mesma.
Como minha amiga.

Mas às vezes acho que até eu me abandonei.

Os astros me contaram

Sou pássaro
E também gaiola.

Sou grito
Que ressoa nos becos,
Nas casas
E também nos sonhos.

Entretanto sou silêncio.
Angústia e também conforto.

Sou criança, e também
Velha.

Na minha inocência,
Acredito.
A maturidade duvida.

Meus olhos perguntam,
minhas mãos procuram.
O que sou?
Ser paradoxal como todos.
E também mais que todos.