segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pequenas corrupções

Estava aqui pensando nas pequenas corrupções de todos os dias e com as quais estamos acostumados.
Tão acostumados que não percebemos o tamanho absurdo que elas são.
Porque a gente ouve que os políticos roubam dinheiro da saúde, da educação e a gente se revolta, mas quando é com a gente, passa a ser perdoável.
Por que roubar (ou desviar, é a mesma coisa) brinquedo(s) que seria(m) doados para crianças carentes seria menos grave do que embolsar o dinheiro revertido para educação infantil?
Me ensinaram a ser honesta quando criança e eu nunca mais esqueci.
Eu devolvo o troco a mais, devolvo a carteira achada na rua (com tudo dentro), viro o rosto quando as pessoas colocam a senha nas maquininhas de cartão, mas no fim, parece que estou sozinha...
Por que só eu fiquei surpresa com uma coisa tão absurda quanto o roubo de um brinquedo? A negação da alegria de ganhá-lo para uma criança que não tem nem ao menos roupas decentes para vestir?
Porque a corrupção já está entranhada na gente.
E a política reflete o povo que é governado.
Quer saber, a gente não tem moral para reclamar dos políticos.

4 comentários:

  1. ou reclamar de refrigerantes cobrados a menos em um restaurante...

    ResponderExcluir
  2. É o que mais me incomoda nesse país. E para mim parece que vem outras coisas junto como o descompromentimento e falta de seriedade com quase tudo. Acho que esta tudo na mesma esféra "viver facilmente e se dar bem".

    ResponderExcluir
  3. você ta certa.O problema não é a corrupção política e sim a corrupção moral.Nós vivemos n'uma sociedade que tem,por cultura,ser corrupta;que tem a cultura do "se dar bem,sem olhar o outro",intrincada nas nossas mentes.

    O pior é que tudo começa dentro de casa e é consagrado nas urnas,a cada 2 anos.

    ResponderExcluir
  4. Na verdade a corrupção política é sim um problema muito grave, mas a gente não tem como lidar com isso se a gente não consegue nem devolver o troco a mais do chopp.
    Eu acredito que isso pode mudar se trabalharmos muito pra isso. Mas se um dia conseguirmos que a população se torne realmente honesta, daí sim teríamos força para brigar com os políticos corruptos.

    ResponderExcluir