quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Eu

Vem, senta aqui, fica à vontade. Esse é o meu quarto.
Aqui, é esse o computador que eu uso, ali, a cama que eu durmo, as almofadas espalhadas.
Não repara na bagunça não, tá. É que não deu pra arrumar, você nem falou que tava vindo.
Vem, pode entrar. Essa é a minha vida.
É feita de rotina, igualzinha a todas as outras. Tem faculdade, amigos, briga com os pais, irritação com o irmão, saudade da irmã, falta de grana. Tem tudo isso.
E tem um pouco mais. São essas as minhas melhores lembranças. Tem alguns assuntos que não gosto de falar, você entende, né? A gente passa por decepções na vida. É assim mesmo.
Só vou te pedir uma coisa. É que sou meio tímida, então entra devagarzinho pra eu não me assustar. Mas pode vir.
Vem, vamos conversar. Senta aqui do meu lado. Deixa eu sentir sua atenção em mim. Me deixa nervosa. Me tira as respostas.
Vem, não precisa ter medo que eu não vou fechar a porta. Você pode sair quando quiser. Mas não vai agora. Fica mais um pouquinho. Fala qualquer coisa me olhando nos olhos. 
Não precisa mentir, dizer que vai ser pra sempre. Eu entendo. Um dia você vai embora, mas eu vou te pedir mais uma coisinha: Quando você for, me deixa aqui. Tenho medo. Vai que a porta bate atrás da gente.
Não me leva embora de mim que eu não vou saber voltar.

7 comentários:

  1. Não repara em todas as coisas de cor laranja, não, tá?

    ResponderExcluir
  2. Mas, por favor, repare nos dois (eu disse dois!) livros que eu já tenho para colocar na mesa da sala quando eu tiver uma sala que seja minha. E uma mesa na minha sala.

    Se essa sala, se essa sala fosse minha...

    ResponderExcluir
  3. Expressivo e sincero. De cara está entre os textos que mais gostei de ter lido.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo, João! Obrigada! :)

    ResponderExcluir