quinta-feira, 16 de setembro de 2010

"A tua ausência fazendo silêncio em todo lugar"

Hoje foi uma das poucas vezes que sonhei com ele. Prefiro não citar nomes, então quando eu me referir a "ele" neste texto, será sempre a mesma pessoa.
Como das outras vezes, foi um sonho perturbador e pouco romântico, exatamente como é na vida real. No sonho tive inúmeras oportunidades de falar que gostava dele, mas preferi não fazê-lo. Ele me tratava ao mesmo tempo com carinho e desapego. E no fim, ele havia ido embora, e eu corria desesperada para lhe dar um abraço de despedida. Tudo o que eu queria era um abraço, mas não conseguia chegar até ele. Não conseguia sair da minha casa. As portas estavam trancadas e quebravam na minha mão. Eu sabia que tudo entre a gente tinha acabado - acho que é essa a principal diferença entre o sonho e a minha vida. - mas queria me despedir direito. Exatamente antes de acordar, estava no elevador brigando, triste, do lado de fora da casa e sem conseguir trancar a porta para os ladrões não entrarem, sabendo que não havia mais chances de alcançá-lo, sentindo enjôo por saber - como se descobre de repente nos sonhos - que ele estava indo embora acompanhado.
Isso tudo porque eu queria lhe dar um abraço.




Apesar da minha pouca experiência em relacionamentos, sempre fui uma boa ouvinte, então muito do que sei sobre amor e relacionamentos é proveniente das experiências alheias.
Obviamente o amor é diferente para homens e mulheres, e com tudo o que ouvi e vivi, criei uma teoria, desenvolvida de uma grande, imensa, monstruosa, generalização.
Mulheres são todas feitas para doação. Da ponta do cabelo ao dedão do pé. Precisamos de alguém que receba todo amor, carinho e atenção que temos para dar e ficamos felizes quando fazemos os outros felizes, mas exigimos que o foco esteja em nós, já que somos nós que doamos tudo que temos.
E os homens precisam desse amor e carinho. São feitos para receber e dominar. É claro que eles amam de volta, mas o amor é diferente, é envolto em músicas com letras românticas, recheado de conforto, proteção, sexo e ciúmes.
Às vezes eu penso que essa dificuldade para relacionamentos  vêm da minha vontade de achar alguém que saiba receber todo esse amor, mas a impressão que tenho é que nem se todo o universo resolvesse receber e absorver meu amor, seria suficiente para não me fazer explodir de amor.
Não é só o excesso de sonhos. Sofro também de excesso de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário