sexta-feira, 9 de julho de 2010

Perda de tempo?

Às vezes bate uma saudade daquela voz que já não se ouve há um tempo, das brincadeiras bobas, do friozinho na barriga.
Mas eu me faço de forte. Finjo que esqueci.
E acabo assoviando aquela música que lembra a gente, e vêm na memória o tom certinho que ele usa para cantar cada trecho.
Fico repetindo algumas partes na memória. Editando a meu gosto. Imaginando as expressões que ele faz cantando.
E daí eu vejo que fui longe demais com as lembranças e volto para o meu mundo onde não há espaço para saudade.
Ainda tento me convencer de que vivo no presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário